OFERTA FORMATIVA

Ref. 132T1 Inscrições abertas até 02-01-2023

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-01/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 04-01-2023

Fim: 04-01-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Gouveia

Destinatários

Professores dos 2º e 3º ciclos dos Ensinos Básico e Secundário e professores de Educação Especial do Agrupamento de Escolas de Gouveia

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Gouveia

Razões

Esta ACD surge no âmbito do Projeto de Erasmus + “Bridging The Gap – Boas Práticas Para a Gestão Integrada do Currículo”, inserido no eixo de intervenção “Mudanças nas Metodologias de Ensino e de Avaliação”, enquanto ação de divulgação da formação “Creative Thinking”, realizada em Barcelona, de 23 a 27 de maio de 2022. Pretende-se, com esta ACD, refletir acerca das metodologias e práticas de ensino, promovendo a partilha de ideias e experiências que contribuam par ao incremento da criatividade como ferramenta para o sucesso educativo.

Objetivos

• Questionar o conceito de criatividade e a sua abrangência; • Refletir sobre as competências necessárias para o desenvolvimento da criatividade; • Partilhar experiências e práticas criativas na sala de aula e na escola; • Promover o papel central da criatividade nas práticas de Ensino / Aprendizagem / Avaliação;

Conteúdos

.

Metodologias

.

Avaliação

.

Modelo

Resposta a questionário a disponibilizar pelo CFAE Guarda-1



INSCREVER-ME

Ref. 133T1 Inscrições abertas até 06-01-2023

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-02/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 11-01-2023

Fim: 11-01-2023

Regime: Presencial

Local: CISE (Centro de Interpretação da Serra da Estrela em Seia)

Destinatários

Professores dos 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico do Agrupamento de Escolas Dr. Guilherme Correia de Carvalho - Seia

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas Dr. Guilherme Correia de Carvalho

Razões

O processo de avaliação dos alunos tem assumido ao longo de várias décadas uma vertente mais classificativa das aprendizagens, que se procura enriquecer, fazendo sobressair o fundamental propósito da avaliação enquanto processo para apoiar os alunos nas suas aprendizagens, “informando-os acerca da sua situação, do seu progresso, em relação aos conteúdos, às capacidades, às competências e desempenhos que têm de desenvolver (Fernandes, 2019, p. 12). Procura-se, deste modo, realçar a natureza essencialmente formativa da avaliação, no sentido de que fornece feedback aos alunos e aos professores para que ambos possam regular o processo de aprendizagem e ensino. Este paradigma de avaliação para as aprendizagens, proporciona informações fundamentais para que os alunos tomem consciência das suas dificuldades e junto com os professores encontrem os meios e processos que as permitam ultrapassar. Importa, pois, refletir acerca da importância do feedback, no processo de monitorização das aprendizagens, que permite garantir o reporte da avaliação aos alunos e aos encarregados de educação sobre as aprendizagens desenvolvidas e a sua qualidade, assumindo a especificidade que de acordo com Fernandes (2019), permite aos docentes comunicarem aos alunos e aos respetivos encarregados de educação, assim como aos próprios, três informações fundamentais: 1- onde se pretende que os alunos cheguem; 2- em que situação se encontram; 3- e o que têm de fazer para aprenderem o que está previsto. Procura-se, deste modo, garantir o reporte da avaliação aos alunos e aos encarregados de educação das aprendizagens desenvolvidas e da sua qualidade. A equidade de oportunidades enquanto projeto de uma igualdade real no acesso ao ensino e à aprendizagem, traço inquestionável que carateriza as sociedades modernas, faz sobressair a preocupação com a adequação dos paradigmas educativos, colocando à sociedade e à escola enormes desafios no sentido de garantir uma exigência de qualidade de ensino para todos os alunos. Neste contexto, assume-se como traço estruturante da aprendizagem, a avaliação sistemática dos contextos, processos e produtos, numa perspetiva de sistema contínuo que suporta os processos de aprendizagem em complementaridade ao sentido de avaliação classificatório das aprendizagens. A reflexão dos docentes sobre a avaliação, enquanto processo inerente ao acompanhamento e apoio do professor que questiona, dá pistas, ajuda o aluno a refletir e a “pensar sobre o pensar”, é determinante para a adoção de práticas que tornam a aprendizagem mais eficiente e significativa e favorecem a autorregulação do aluno, em função das metas que o próprio desenha com base no conhecimento prévio das “regras do jogo”. A presente formação pretende fomentar a reflexão a aprendizagem dos alunos e a necessidade de reequacionar as práticas de ensino e aprendizagem de modo a eliminar as barreiras que se colocam no acesso as aprendizagens, impondo, deste modo, a necessidade de pensar a organização das respostas educativas com base numa visão integradora das áreas de desenvolvimento e aprendizagens essenciais, promovendo o acesso equitativo a uma educação de qualidade para todas as crianças e jovens.

Objetivos

O objetivo fulcral da formação é o de refletir sobre as dimensões da avaliação do ponto de vista pedagógico, de modo que o processo de avaliação potencie a articulação entre a intervenção pedagógica e a ação contingente do aluno. Pretende-se que os docentes consigam, com base nos dados da avaliação, identificar e eliminar as barreiras que se colocam no acesso as aprendizagens e repensar a organização das respostas educativas com base numa visão integradora das áreas de desenvolvimento, aprendizagens essenciais, competências do perfil do aluno, Cidadania, literacia digital e inclusão, promovendo o acesso equitativo a uma educação de qualidade para todas as crianças e jovens, integrando os seguintes conteúdos: - Dimensões da Avaliação enquanto processo orientado para a inclusão dos alunos, para a sua plena integração nas escolas e no sistema educativo”, entendendo que o principal propósito da avaliação pedagógica é “estar ao serviço da melhoria das aprendizagens e do ensino”, ou seja, “ao serviço de quem aprende”. Pretende-se que os docentes reflitam sobre o enquadramento da avaliação de modo indissociável das práticas de ensino e das aprendizagens que os alunos têm de desenvolver; - Propósito e Princípios da avaliação Pedagógica – Avaliar em contextos imersivos de aprendizagem com o propósito de ajudar os alunos e os professores a aprenderem e a ensinarem melhor. Entender, deste modo, a avaliação enquanto processo eminentemente pedagógico, integrado nos processos de ensino e aprendizagem, cujo principal e fundamental propósito é apoiar e melhorar as aprendizagens dos alunos, recolhendo e proporcionando feedback em tempo útil, para os orientar e apoiar nos seus esforços de aprendizagem. Pretende-se impregnar nos processos de avaliação uma relação de proximidade, nas dinâmicas que ocorrem no dia a dia da sala de aula, sendo resultado das interações que se devem estabelecer entre alunos e professores como forma de regulação e de autorregulação que converge para melhores aprendizagens. É, pois, importante flexibilizar não só o acesso à escola, à sala de aula e ao currículo, mas também o acesso aos recursos que os alunos necessitam para aprender, através de abordagens flexíveis, personalizadas, adequadas às necessidades individuais, ajustas e transparentes, que permitem equacionar estratégias, materiais e formas de avaliação pertinentes para todos os alunos, e não apenas para alguns (Meyer, 2014). A importância de se estabelecerem “andaimes” que favoreçam a aprendizagem, sublinhada por Vygotsky, constitui também um dos pontos-chave a considerar na abordagem à utilização de feedback na avaliação. A avaliação formativa relaciona-se, deste modo, com conceitos descritos por autores como Piaget, Vygotsky, Bruner e Bloom, que há muito se preocuparam com o processo de ensino e aprendizagem, ajudando a compreender o modo como se aprende, as diferenças individuais e a pedagogia necessária para enfrentar essas diferenças. Não se trata, pois, de criar novas práticas, mas antes, de organizar, sintetizar, e desenvolver práticas existentes que docentes mais experientes já usam regularmente nas suas salas de aula nas quais o feedback se tem revelado importante no processo de ensino e de aprendizagem, sendo mesmo considerado uma forma eficiente de melhorar o ensino e a aprendizagem. É um processo contínuo em que se estabelecem objetivos, reúnem evidências sobre a aprendizagem dos alunos, fornecem instruções para clarificar quais são as ações seguintes para melhorar o desempenho. No ensino-aprendizagem, o feedback refere-se à informação dada ao aluno que descreve e discute seu desempenho em determinada situação ou atividade. O feedback gera uma conscientização valiosa para a aprendizagem, pois ressalta as dissonâncias entre o resultado pretendido e o real, incentivando a mudança. Um feedback eficaz pode aumentar o esforço e os resultados dos alunos, levar a estratégias de aprendizagem mais eficientes e melhorar a sua autorregulação, permitindo ao professor reorientar a sua prática e desafios a colocar. É consensual a ideia de que as práticas de ensino e aprendizagem devem ancorar-se, cada vez mais, no conhecimento que advém das neurociências. Assim, perspetivando a intervenção a partir da compreensão de como o cérebro aprende e como se pode proporcionar um ensino eficaz, importa perceber que a aprendizagem é um processo multifacetado, que envolve o uso de três sistemas básicos, a saber: as redes afetivas relacionadas com a motivação para a aprendizagem e que ajudam o sujeito a determinar o que é importante aprender; as redes de reconhecimento referentes ao que aprendemos e as redes estratégicas implicadas no como aprendemos e indicam-nos como fazer as coisas que alunos e professores devem mobilizar para otimizar o ensino e a aprendizagem. Nesse contexto, torna-se crucial a clarificação dos níveis de desempenho implicados nas diferentes tarefas de aprendizagem de modo que os alunos saibam à partida o que se espera deles e de que forma podem ultrapassar as suas dificuldades e melhorar o seu desempenho. Que todos os professores almejam que os seus alunos desenvolvam competências complexas nas mais diversas áreas e disciplinas, tais como: resolver problemas em equipa, argumentar e criticar de forma construtiva, pesquisar de modo profundo e criterioso, etc. é inquestionável. No entanto, transformar os sonhos em realidade passa por uma mudança no paradigma de pensar a educação, considerando a Escola como um lugar de oportunidades e não de exclusão. No âmbito deste paradigma de avaliação é imperioso perceber a importância da informação obtida a partir dos dados de autoavaliação dos alunos, no sentido de aumentar a autonomia e responsabilização do aluno e do professor na organização e gestão flexível do currículo, identificando e fundamentando a pertinência das dimensões a considerar na planificação da intervenção pedagógica, de modo a assegurar o acesso, a participação e o desenvolvimento das aprendizagens essenciais. Ao permitir uma participação ativa dos alunos, estes ganham oportunidade de refletir acerca das suas aprendizagens, processos de resolução de tarefas e dificuldades, podendo esta avaliação constituir-se como um importante meio para melhorar os processos de aprendizagem. Deste modo, é fundamental que os professores entendam os dados de autoavaliação em complementaridade com a informação obtida através de outros recursos/ instrumentos, com o objetivo de dar feedback de elevada qualidade a todos os alunos, sem fins classificatórios. Nesta dinâmica, é importante que os professores percebam a relevância de partilhar com os alunos, interesses, regras, critérios de avaliação, claros e facilmente percebidos por todos, enquadrando-se num contexto pedagógico focalizado nas aprendizagens. Em suma, neste contexto de mudança tida como rápida, contínua e continuada, ao nível do ecossistema escola e da gestão do currículo, emerge a necessidade de apoiar os professores e as escolas no processo de melhoria das práticas de avaliação pedagógica, enquadrando-se, neste âmbito, os pressupostos do Projeto MAIA, que pretendemos abordar nesta ação.

Conteúdos

.

Metodologias

.

Avaliação

.

Modelo

Resposta a um questionário a disponibilizar pelo CFAE Guarda-1

Bibliografia

.


Observações

.


INSCREVER-ME

Ref. 128C7T5 Inscrições abertas até 09-12-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115546/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 17-01-2023

Fim: 21-03-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Seia (3 sessões presenciais)

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME



INSCREVER-ME

210

Ref. 129C8T1 Inscrições abertas até 09-12-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115548/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 17-01-2023

Fim: 21-03-2023

Regime: b-learning

Local: Escola EB 2,3 Dr. G.C.C - Seia (3 sessões presenciais)

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf



INSCREVER-ME

214

Ref. 127C6T3 Inscrições abertas até 09-12-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115547/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 18-01-2023

Fim: 22-03-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Gouveia (3 sessões presenciais)

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME



INSCREVER-ME

209

Ref. 128C7T6 Inscrições abertas até 09-12-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115546/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 19-01-2023

Fim: 23-03-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Trancoso (3 sessões presenciais)

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME



INSCREVER-ME

211

Ref. 129C8T2 Inscrições abertas até 09-12-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115548/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 19-01-2023

Fim: 23-03-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Sacadura Cabral - Celorico da Beira (3 sessões pres.)

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf



INSCREVER-ME

215

Ref. 131C9T1 Inscrições abertas até 09-12-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117482/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 25-01-2023

Fim: 22-03-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária/3 Gonçalo Anes Bandarra-Trancoso (3 ses p)

Destinatários

Educadores de Infância;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

- Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; - Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; - Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital. - Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital dascrianças. 8. Apresentação e partilha das atividades desenvolvidas pelos formandos na oficina. 9. Reflexão e debate sobre as atividades apresentadas e análise dos resultados obtidos pela sua implementação. 10. Avaliação e conclusões.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas: à exploração, reflexão e articulação dasOCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças;à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambientecolaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento deatividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação;à planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, quepromovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre odesenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem, tendo por base as OCEPE, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

Respostas dos formandos a um questionário disponibilizado pela entidade formadora; Relatório do formador da ação; Relatório da entidade formadora.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em:https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UAEditora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels.Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/Open_book_of_Innovational_Education.pdf. Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf Lopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf


Observações

.


INSCREVER-ME

208

Ref. 128C7T7 Inscrições abertas até 09-12-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115546/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 19-04-2023

Fim: 06-06-2023

Regime: b-learning

Local: Escola EB 2,3 Dr. G.C.C. - Seia (3 sessões presenciais)

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME



INSCREVER-ME

212

Ref. 128C7T8 Inscrições abertas até 09-12-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115546/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 20-04-2023

Fim: 07-06-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Trancoso (3 sessões presenciais)

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME



INSCREVER-ME

213

Ref. 121T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116274/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 15-09-2022

Fim: 16-02-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Gouveia (4 sessões presenciais)

Formador

Pedro José Arrifano Tadeu

Destinatários

Professores do 1º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 110 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática no Ensino Básico, procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados do conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; - Realizar práticas de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 1.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

Presencial A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada decorridos cerca de 2/3 da formação. Sessões presenciais (momentos em pequenos e em grande grupo): análise e discussão das orientações curriculares das AE e de textos teóricos que as suportam e apresentação e discussão da intervenção na prática letiva. Sessões síncronas: resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas para alunos, o seu enquadramento curricular, a análise de produções matemáticas e de episódios de sala de aula. Trabalho autónomo Trabalho autónomo: leitura das AE e de textos disponibilizados, na planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Canavarro, A. P. (2009). O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática dos primeiros anos. Quadrante, 16(2), 81-118. Canavarro, A. P., Oliveira, H., & Menezes, L. (2012). Práticas de ensino exploratório da matemática: O caso de Célia. In A. P. Canavarro, L. Santos, A. Boavida, H. Oliveira, L. Menezes, & S. Carreira (Eds.), Investigação em Educação Matemática – Práticas de ensino da Matemática, Livro de Atas do Encontro de Investigação em Educação Matemática EIEM2012 (pp. 255-266). Castelo de Vide: SPIEM. Educação e Matemática, 2022, nº 162 (número temático sobre pensamento computacional) Henriques, A., & Oliveira, H. (2012). Investigações estatísticas. Um caminho a seguir? Educação e Matemática, 120, 3-8. NCTM (2017). Princípios para a Ação. Lisboa: APM.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 15-09-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
2 28-09-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
3 12-10-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 27-10-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
5 10-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
6 24-11-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
7 05-12-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 05-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
9 02-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
10 16-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial


194

Ref. 123T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116272/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 05-09-2022

Fim: 13-02-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Gouveia (4 sessões presenciais)

Formador

Olga Maria Cardoso Rodrigues Roque

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; - Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 3.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

Presencial A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada a partir de 2/3 da formação. Sessões presenciais (momentos em pequenos e em grande grupo): análise e discussão das orientações curriculares das AE e de textos teóricos que as suportam e apresentação e discussão da intervenção na prática letiva. Sessões síncronas: resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas para alunos, o seu enquadramento curricular, a análise de produções matemáticas e de episódios de sala de aula. Trabalho autónomo: leitura das AE e de textos disponibilizados para: planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158 Educação e Matemática, 162 NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM. Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11. Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 05-09-2022 (Segunda-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
2 05-09-2022 (Segunda-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
3 11-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 24-10-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
5 07-11-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 28-11-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
7 05-12-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 09-01-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
9 30-01-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
10 13-02-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial


192

Ref. 122T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116273/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 05-09-2022

Fim: 13-02-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Gouveia (4 sessões presenciais)

Formador

Carlos Alberto Marques Lopes

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 230

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 230. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 230.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade.\r\nTendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 230 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico, destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem ser capazes de: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar capacitados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; - Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e alertados para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 2.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática; - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática; - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática; Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

Presencial A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada a partir de 2/3 da formação. Sessões presenciais (momentos em pequenos e em grande grupo): análise e discussão das orientações curriculares das AE e de textos teóricos que as suportam e apresentação e discussão da intervenção na prática letiva. Sessões síncronas: resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas para alunos, o seu enquadramento curricular, a análise de produções matemáticas e de episódios de sala de aula. Trabalho autónomo: leitura das AE e de textos disponibilizados para: planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e na elaboração de um trabalho final individual.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158 Educação e Matemática, 162 NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM. Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11. Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 05-09-2022 (Segunda-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
2 05-09-2022 (Segunda-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
3 26-09-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 10-10-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
5 24-10-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 07-11-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
7 21-11-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 05-12-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
9 30-01-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
10 13-02-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial


193

Ref. 128C7T3 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115546/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 06-10-2022

Fim: 30-11-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Básica e Sec. de Fornos de Algodres (3 sessões)

Formador

Carla Sofia da Silva Ferreira Cardoso

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 06-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 13-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 20-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 27-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 03-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 10-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 17-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 30-11-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


205

Ref. 128C7T4 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115546/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 06-10-2022

Fim: 30-11-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Básica e Sec. Sacad. Cabral-Celorico Beira (3sessões)

Formador

Liliana Manuela Cruz Melo

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 06-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 13-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 20-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 27-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 02-11-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 10-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 17-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 30-11-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


206

Ref. 127C6T1 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115547/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-10-2022

Fim: 23-11-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Sec. de Gouveia (3 sessões presenciais + 5 on-line)

Formador

Catarina Maria Seixas Horta

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 12-10-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 19-10-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 26-10-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 02-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 09-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 16-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 23-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Online síncrona


201

Ref. 127C6T2 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115547/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-10-2022

Fim: 29-11-2022

Regime: b-learning

Local: E. B. e Sec. de Fornos de Algodres (3 presenciais + 5 on-lin

Formador

António Pina Mendes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 11-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 18-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 25-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 03-11-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 08-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 15-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
8 29-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


202

Ref. 128C7T1 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115546/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-10-2022

Fim: 29-11-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Gouveia (3 sessões )

Formador

Carla Sofia da Silva Ferreira Cardoso

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 11-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 18-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 25-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 02-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 08-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 15-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 29-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


203

Ref. 128C7T2 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115546/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-10-2022

Fim: 29-11-2022

Regime: b-learning

Local: EB 2, 3 Dr. Guilherme Correia de Carvalho - Seia (3 sessões)

Formador

Liliana Manuela Cruz Melo

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 11-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 18-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 25-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 03-11-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 08-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 15-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
8 29-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


204

Ref. 130T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-06/2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 14-09-2022

Fim: 14-09-2022

Regime: Presencial

Local: Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE)

Formador

Teresa de Jesus Dias Fernando

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

AE Dr. Guilherme Correia de Carvalho

Razões

A diversidade que cada vez mais caracteriza a realidade dos contextos escolares, à qual todos procuramos dar respostas cada vez mais adequadas impõe o desenvolvimento de comunidades cada vez mais reflexivas, que procuram opções metodológicas para fornecer a todos os alunos oportunidades iguais de acesso à educação, meios complementares e serviços de suporte, que facilitem o desenvolvimento das competências do perfil dos alunos, tornando-os conhecedores, críticos e empreendedores. Pensar a diversidade vai, por conseguinte, muito para além da sensibilização para a inclusão de alunos com handicaps mais ou menos severos. A diversidade compreende, desde logo, a diferença de género, a orientação sexual, a idade, a etnicidade, a religião, a língua, a nacionalidade, o status socioeconómico, entre outros aspetos que hoje compõem as nossas salas de aula, sejam elas físicas ou digitais. Neste contexto, criar ambientes de aprendizagem inclusivos significa permitir que todos os alunos realizem aprendizagens significativas, mesmo que o método para fazê-lo seja diferente. Salas de aula inclusivas mantêm o foco no aluno e no objetivo de aprendizagem, potenciando a utilização de distintos recursos, em que se incluem as ferramentas digitais, para proporcionar diferentes meios de apresentação da informação, expressão, ação e avaliação, de modo a promover melhores aprendizagens. Procura-se construir uma abordagem que se baseia em modelos curriculares flexíveis, no acompanhamento e monitorização sistemáticas da eficácia do contínuo das intervenções implementadas, no diálogo dos docentes com os pais ou encarregados de educação e na opção por medidas de apoio à aprendizagem, organizadas em diferentes níveis de intervenção, de acordo com as respostas educativas necessárias para cada aluno adquirir uma base comum de competências, valorizando as suas potencialidades e interesses. No âmbito deste paradigma da educação inclusiva impõe-se às escolas o desafio de encontrar formas de organização pedagógica e social flexíveis, de modo a garantir o direito de participação e igualdade de oportunidades de acesso à educação e à aprendizagem de todos os alunos, identificando e fundamentando a pertinência das dimensões a considerar na planificação da intervenção pedagógica por forma a assegurar o acesso, a participação e o desenvolvimento das competências que garantam o sucesso de todos os alunos. Reconhecendo que esta realidade requer o desenvolvimento de novas competências profissionais, que dotem todos os intervenientes de ferramentas que lhes permitam maior capacidade de inovação, literacia digital, resiliência e adaptação às novas dinâmicas de ensino e aprendizagem, a liderança de topo alinhada com as lideranças intermédias do agrupamento entenderam pertinente, no início de mais um ano letivo, dinamizar um momento formativo, com espaço para veicular informação, esclarecer dúvidas e promover práticas de trabalho colaborativo facilitado por ferramentas digitais, refletindo novas formas de organizar e desenvolver o currículo, a partir da experiência do curso de formação realizado em Florença pelas duas docentes dinamizadoras da ação, no âmbito do programa Erasmus+. A proposta desta ação de curta duração, enquadra-se, deste modo, na necessidade de sensibilizar a comunidade a mudança de práticas pedagógicas, tendo por base os princípios da flexibilidade curricular, da intervenção multinível, do modelo de desenho universal para a aprendizagem (DUA), da integração digital e da avaliação para aprendizagem, numa perspetiva de desenvolvimento das aprendizagens essenciais e do perfil dos alunos à saída escolaridade obrigatória, através do incremento de práticas pedagógicas ancoradas na investigação científica, cada vez mais adequadas ao quadro conceptual da educação inclusiva.

Objetivos

É consensual o reconhecimento de que as práticas pedagógicas de hoje têm que ser necessariamente diferenciadas, de modo a comtemplar a diversidade que compõe os contextos escolares, implicando uma visão eclética e integrada da aprendizagem. Um modelo de intervenção pedagógica que valoriza a diversidade reflete necessariamente a aprendizagem colaborativa e a multiplicidade, enquanto valores que norteiam a inclusão. Valores que se afirmam numa visão holística do sujeito, orientada para a maximização do potencial individual e que pressupõem uma escola centrada na aprendizagem de todos, livre de barreiras físicas, arquitetónicas, sociais ou curriculares. Assim, esta ação enquadra os seguintes objetivos: 1. Relembrar as premissas e princípios da educação inclusiva; 2. Desconstruir as barreiras à participação e à aprendizagem, concebendo recursos para apoiar todos os alunos na escola, considerando que todos têm o direito de integrar e participar nas várias dimensões do seu ambiente, sem sofrer qualquer tipo de discriminação ou preconceito; 3. Explorar os princípios e conceções pedagógicas, que sustentam a intencionalidade educativa em contextos inclusivos de qualidade, em que se promovem aprendizagens significativas; 4. Promover a literacia digital; 5. Contextualizar o papel do professor em modelos de aprendizagem ativa. Implicando esta visão a aceitação incondicional da diferença, a ação está organizada a partir do conceito de diversidade, considerando os seguintes conteúdos: - Enquadramento do movimento e filosofia da inclusão; - Exploração do conceito de diversidade; - Planeamento do currículo com foco no que os alunos têm que aprender; - Mudanças no ambiente educativo através de medidas de Acomodação em que se muda o imput, de Adaptação Não Significativas em que se muda o imput e o output sem perder de vista as aprendizagens essenciais ou ainda através da organização de Adaptações Significativas que implicam a organização de aprendizagens substitutivas; - Âmbito de diferenciação: ao nível do aluno, do currículo, do contexto, do processo e da avaliação; - Metodologias ativas de aprendizagem e planeamento do currículo, tendo por base a Taxonomia de Bloom - Integração de recursos digitais enquanto facilitadores; - Apresentação do "Index para a Inclusão". Perante os desafios que se colocam à escola urge que estas se preparem estruturalmente para dar o suporte necessário a todos os alunos, seja ao nível das infraestruturas (rampas, sinais, elevadores, etc.) como e, sobretudo, ao nível da capacitação dos profissionais de ensino, de modo que estes tenham ferramentas para educar na diversidade, projetando ambientes de aprendizagem inclusivos com ferramentas digitais para apoiar todos os alunos.

Modelo

Resposta pelos formandos a um questionário a disponibilizar pelo CFAE.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 14-09-2022 (Quarta-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial

Ref. 126T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-05/2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 06-09-2022

Fim: 06-09-2022

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

AE de Fornos de Algodres

Razões

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Foi com este objetivo que o Ministério da Educação decidiu avançar com o Projeto MAIA, coordenado pelo Professor Domingos Fernandes, cujo propósito mais fundamental é contribuir para melhorar os processos de ensino, de aprendizagem e de avaliação pedagógica e, desta forma, desenvolver as ações que se impõem para que os alunos aprendam mais e melhor, com mais compreensão e com mais profundidade. A realização desta Ação de Curta Duração tem, pois, como principal fundamento a sensibilização/mobilização dos professores dos agrupamentos de escolas proponentes para a adesão ao Projeto MAIA, com o qual se pretende capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos.

Conteúdos

1. Objetivos, organização e relevância do Projeto MAIA; 2. Natureza e fundamentos da avaliação; 3. Processos de avaliação pedagógica: 3.1. Práticas de avaliação pedagógica (formativa e sumativa); 3.2. Feedback: natureza, distribuição e utilização pelos alunos e professores; 3.3. Aprendizagens Essenciais, critérios de avaliação, descrição de níveis de desempenho e Standards; 3.4. Processos de recolha de informação.

Modelo

Resposta pelos formandos a um questionário a disponibilizar pelo CFAE.

Anexo(s)

Cronograma


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 06-09-2022 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 06-09-2022 (Terça-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial


199

Ref. 119T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-03/2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 03-06-2022

Fim: 04-06-2022

Regime: e-learning

Local: On-line

Formador

Juan Francisco Garcia Ambrosio

Destinatários

Docentes do grupo 290 - EMRC

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Secretariado Diocesano do Ensino Religioso Escolar - Guarda

Razões

O mundo contemporâneo está em transformação contínua, sendo assolado por diversas crises. Vivemos uma mudança epocal: uma metamorfose não só cultural, mas também antropológica, que gera novas linguagens e descarta, sem discernimento, os paradigmas recebidos da história. A educação é colocada à prova pela rápida aceleração – a chamada rapidación –, que prende a existência no turbilhão da velocidade tecnológica e digital, mudando continuamente os pontos de referência. Neste contexto, perde consistência a própria identidade e desintegra-se a estrutura psicológica perante uma mudança incessante que «contrasta com a lentidão natural da evolução biológica» (Francisco, Carta enc. Laudato si’, 18). Passados alguns anos, visto que toda a mudança precisa duma caminhada educativa para fazer amadurecer uma nova solidariedade universal e uma sociedade mais acolhedora, somos desafiados a refletir e a dialogar sobre o modo como estamos a construir o futuro do planeta e sobre a necessidade de investir os talentos de todos. Nunca, como agora, houve necessidade de unir esforços numa ampla aliança educativa para formar pessoas maduras, capazes de superar fragmentações e contrastes e reconstruir o tecido das relações em ordem a uma humanidade mais fraterna. O programa de EMRC apresenta diversas Unidades Letivas (em todos os ciclos de ensino) que procuram fomentar um espírito crítico e participativo dos alunos acerca desta ou de outras temáticas. Aos docentes de EMRC é lançado o desafio de promoverem uma leitura da atualidade, enquadrando o respeito pela diversidade, a educação para os valores de forma integrada. (Re)pensar a educação para os valores à luz dos desafios do Pacto Educativo Global é construir um mundo mais solidário!

Objetivos

- O Pacto Educativo Global e o seu enquadramento curricular na disciplina de EMRC; - Construir itinerários pedagógicos, no âmbito da disciplina de EMRC, que integrem uma abordagem transversal desta temática; - Promover o trabalho colaborativo na construção de estratégias e ações comuns que reforçam o papel preponderante da disciplina na formação integral.

Modelo

Resposta pelos formandos a um questionário a disponibilizar pelo CFAE

Anexo(s)

Cartaz de Divulgação da Ação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-06-2022 (Sexta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona
2 04-06-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona

Ref. 120T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-04/2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 18-05-2022

Fim: 01-06-2022

Regime: Presencial

Local: AE Padre José Augusto da Fonseca de Aguiar da Beira

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

AE Padre José Augusto da Fonseca de Aguiar da Beira

Razões

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Foi com este objetivo que o Ministério da Educação decidiu avançar com o Projeto MAIA, coordenado pelo Professor Domingos Fernandes, cujo propósito mais fundamental é contribuir para melhorar os processos de ensino, de aprendizagem e de avaliação pedagógica e, desta forma, desenvolver as ações que se impõem para que os alunos aprendam mais e melhor, com mais compreensão e com mais profundidade. A realização desta Ação de Curta Duração tem, pois, como principal fundamento a sensibilização/mobilização dos professores dos agrupamentos de escolas proponentes para a adesão ao Projeto MAIA, com o qual se pretende capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos.

Conteúdos

1. Objetivos, organização e relevância do Projeto MAIA; 2. Natureza e fundamentos da avaliação; 3. Processos de avaliação pedagógica: 3.1. Práticas de avaliação pedagógica (formativa e sumativa); 3.2. Feedback: natureza, distribuição e utilização pelos alunos e professores; 3.3. Aprendizagens Essenciais, critérios de avaliação, descrição de níveis de desempenho e Standards; 3.4. Processos de recolha de informação.

Modelo

Resposta pelos formandos a um questionário a disponibilizar pelo CFAE.

Anexo(s)

Cartaz_Divulgação__ACD__Sensibilização_ao_Projeto_MAIA___Aguiar_da_Beira.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-05-2022 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial
2 01-06-2022 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial

Ref. 102T6 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109944/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-05-2022

Fim: 22-06-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Catarina Maria Seixas Horta

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-05-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 11-05-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 18-05-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 25-05-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 01-06-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 07-06-2022 (Terça-feira) 19:00 - 22:00 3:00 Online síncrona
7 15-06-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 22-06-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


182

Ref. 102T7 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109944/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-05-2022

Fim: 29-06-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

António Pina Mendes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 11-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 18-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 25-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 01-06-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 08-06-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 15-06-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 29-06-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


183

Ref. 103T18 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-05-2022

Fim: 29-06-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Carla Sofia da Silva Ferreira Cardoso

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 11-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 18-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 25-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 01-06-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 15-06-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 22-06-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 29-06-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


187

Ref. 103T16 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 03-05-2022

Fim: 27-06-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Liliana Manuela Cruz Melo

António Pina Mendes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-05-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 10-05-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 17-05-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 24-05-2022 (Terça-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
5 31-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona
6 07-06-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 14-06-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 27-06-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


185

Ref. 103T15 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 02-05-2022

Fim: 20-06-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Catarina Maria Seixas Horta

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-05-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 09-05-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 16-05-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 23-05-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 30-05-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 06-06-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 13-06-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 20-06-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


184

Ref. 103T17 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 02-05-2022

Fim: 27-06-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Carla Sofia da Silva Ferreira Cardoso

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-05-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 09-05-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 16-05-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 23-05-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 30-05-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 13-06-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 20-06-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 27-06-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


186

Ref. 103T19 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 02-05-2022

Fim: 28-06-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Carla Alexandra Alegre Lopes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-05-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 09-05-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 16-05-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 30-05-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 06-06-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 13-06-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 20-06-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 28-06-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


188

Ref. 118T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-02/2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.5 horas

Início: 01-04-2022

Fim: 01-04-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Básica e Secundária de Fornos de Algodres

Formador

Pedro Augusto Bigotte da Veiga

Destinatários

Professores dos grupos 260 e 620

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres

Razões

O Gira-Volei é um jogo fácil, divertido e competitivo destinado aos jovens com idade compreendida ente os 8 e os 15 anos. Através do jogo 2x2 e uma aprendizagem progressiva das técnicas, simplifica-se a prática do Voleibol. O jogo 2x2, deverá ser um dos elementos fundamentais de uma aprendizagem divertida e competitiva. Com o aumento de participantes no programa de Gira Volei na zona de aplicação da formação, Seia, torna-se evidente a necessidade de desenvolver uma formação de vise a consciencialização de rotinas e a apresentação de uma nova estratégia de abordagem à modalidade, contribuindo assim para a melhoria do processo de formação dos nossos alunos.

Conteúdos

• Técnica do Passe; • Pressupostos Metodológicos na abordagem do Gira-Volei; • Quadros competitivos e a sua aplicabilidade; • Sessão pratica sobre uma aula tipo Gira-Volei.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 01-04-2022 (Sexta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial

Ref. 114T2 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-11/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 18-03-2022

Fim: 18-03-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Seia

Formador

Nuno Fernando Ferreira Marques

Luís Filipe Lima Pinto

Vitor Manuel Soares de Almeida

João Artur Camilo

Maria Manuela Jesus Mira

Destinatários

Professores do Grupo de Recrutamento 620

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

INEM em consórcio com a DGE

Razões

Os estudos científicos comprovam que a probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre uma paragem cardiorrespiratória (PCR) provocada por uma fibrilação ventricular e a consequente desfibrilhação. A rápida desfibrilhação, enquanto objetivo, é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre na maioria das vezes fora do hospital. Nesse sentido recomenda-se que os “não médicos” sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores, na sequência do enquadramento proporcionado pela legislação existente. Tendo em vista a massificação do ensino e treino das manobras de suporte básico de vida com desfibrilhação automática externa, designadamente no âmbito da formação efetuada nos estabelecimentos de ensino, justifica-se a criação deste produto pedagógico, de forma a promover a formação dos professores com competências técnico/pedagógicas nesta área. O número máximo de elementos a admitir à formação, bem como a relação formador/formando, teve em conta a capacidade pedagógica prévia dos elementos que integrarão estas ações.

Objetivos

- Demonstrar capacidade no ensino e treino das manobras de SBV/DAE.

Conteúdos

15 Minutos: Apresentação e objetivos do curso 45 Minutos: Algoritmo de SBV e demonstração 90 Minutos: Sessão prática de SBV, PLS e DVA 90 Minutos: Sessão prática de execução de tarefas

Metodologias

- Sessões Teóricas - Sessões Práticas

Avaliação

Avaliação Prática Contínua, realizada durante a execução das tarefas atribuídas. Aprovação: classificação igual ou superior a 15 valores (75%). a) Não são permitidas faltas.

Bibliografia

• Manual de SBV/DAE.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-03-2022 (Sexta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial

Ref. 115T2 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-12/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 18-03-2022

Fim: 18-03-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Seia

Formador

Nuno Fernando Ferreira Marques

Luís Filipe Lima Pinto

Vitor Manuel Soares de Almeida

João Artur Camilo

Maria Manuela Jesus Mira

Destinatários

Professores do Grupo de Recrutamento 620

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

INEM em consórcio com a DGE

Razões

Os estudos científicos comprovam que a probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre uma paragem cardiorrespiratória (PCR) provocada por uma fibrilação ventricular e a consequente desfibrilhação. A rápida desfibrilhação, enquanto objetivo, é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre na maioria das vezes fora do hospital. Nesse sentido recomenda-se que os “não médicos” sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores, na sequência do enquadramento proporcionado pela legislação existente. Tendo em vista a massificação do ensino e treino das manobras de suporte básico de vida com desfibrilhação automática externa, designadamente no âmbito da formação efetuada nos estabelecimentos de ensino, justifica-se a criação deste produto pedagógico, de forma a promover a formação dos professores com competências técnico/pedagógicas nesta área. O número máximo de elementos a admitir à formação, bem como a relação formador/formando, teve em conta a capacidade pedagógica prévia dos elementos que integrarão estas ações.

Objetivos

- Demonstrar capacidade no ensino e treino das manobras de SBV/DAE.

Conteúdos

45 Minutos: Algoritmo de SBV-DAE e demonstração 60 Minutos: Sessão prática de SBV-DAE 75 Minutos: Sessão prática de execução de tarefas 45 Minutos: Workshop sobre avaliação prática 15 Minutos: Avaliação e encerramento do curso

Metodologias

- Sessões Teóricas - Sessões Práticas

Avaliação

Avaliação Prática Contínua, realizada durante a execução das tarefas atribuídas. Aprovação: classificação igual ou superior a 15 valores (75%). a) Não são permitidas faltas.

Bibliografia

• Manual de SBV/DAE.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-03-2022 (Sexta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 114T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-11/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 17-03-2022

Fim: 17-03-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Básica de Vila Franca das Naves

Formador

Nuno Fernando Ferreira Marques

Pedro Manuel Fontes Melo

José António Gonçalves Maleiro

Vitor Manuel Soares de Almeida

João Artur Camilo

Destinatários

Professores do Grupo de Recrutamento 620

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

INEM em consórcio com a DGE

Razões

Os estudos científicos comprovam que a probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre uma paragem cardiorrespiratória (PCR) provocada por uma fibrilação ventricular e a consequente desfibrilhação. A rápida desfibrilhação, enquanto objetivo, é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre na maioria das vezes fora do hospital. Nesse sentido recomenda-se que os “não médicos” sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores, na sequência do enquadramento proporcionado pela legislação existente. Tendo em vista a massificação do ensino e treino das manobras de suporte básico de vida com desfibrilhação automática externa, designadamente no âmbito da formação efetuada nos estabelecimentos de ensino, justifica-se a criação deste produto pedagógico, de forma a promover a formação dos professores com competências técnico/pedagógicas nesta área. O número máximo de elementos a admitir à formação, bem como a relação formador/formando, teve em conta a capacidade pedagógica prévia dos elementos que integrarão estas ações.

Objetivos

- Demonstrar capacidade no ensino e treino das manobras de SBV/DAE.

Conteúdos

15 Minutos: Apresentação e objetivos do curso 45 Minutos: Algoritmo de SBV e demonstração 90 Minutos: Sessão prática de SBV, PLS e DVA 90 Minutos: Sessão prática de execução de tarefas

Metodologias

- Sessões Teóricas - Sessões Práticas

Avaliação

Avaliação Prática Contínua, realizada durante a execução das tarefas atribuídas. Aprovação: classificação igual ou superior a 15 valores (75%). a) Não são permitidas faltas.

Bibliografia

• Manual de SBV/DAE.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 17-03-2022 (Quinta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial

Ref. 115T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-12/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 17-03-2022

Fim: 17-03-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Básica de Vila Franca das Naves

Formador

Nuno Fernando Ferreira Marques

Pedro Manuel Fontes Melo

José António Gonçalves Maleiro

Vitor Manuel Soares de Almeida

João Artur Camilo

Destinatários

Professores do Grupo de Recrutamento 620

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

INEM em consórcio com a DGE

Razões

Os estudos científicos comprovam que a probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre uma paragem cardiorrespiratória (PCR) provocada por uma fibrilação ventricular e a consequente desfibrilhação. A rápida desfibrilhação, enquanto objetivo, é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre na maioria das vezes fora do hospital. Nesse sentido recomenda-se que os “não médicos” sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores, na sequência do enquadramento proporcionado pela legislação existente. Tendo em vista a massificação do ensino e treino das manobras de suporte básico de vida com desfibrilhação automática externa, designadamente no âmbito da formação efetuada nos estabelecimentos de ensino, justifica-se a criação deste produto pedagógico, de forma a promover a formação dos professores com competências técnico/pedagógicas nesta área. O número máximo de elementos a admitir à formação, bem como a relação formador/formando, teve em conta a capacidade pedagógica prévia dos elementos que integrarão estas ações.

Objetivos

- Demonstrar capacidade no ensino e treino das manobras de SBV/DAE.

Conteúdos

45 Minutos: Algoritmo de SBV-DAE e demonstração 60 Minutos: Sessão prática de SBV-DAE 75 Minutos: Sessão prática de execução de tarefas 45 Minutos: Workshop sobre avaliação prática 15 Minutos: Avaliação e encerramento do curso

Metodologias

- Sessões Teóricas - Sessões Práticas

Avaliação

Avaliação Prática Contínua, realizada durante a execução das tarefas atribuídas. Aprovação: classificação igual ou superior a 15 valores (75%). a) Não são permitidas faltas.

Bibliografia

• Manual de SBV/DAE.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 17-03-2022 (Quinta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 112T2 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-09/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 15-02-2022

Fim: 15-02-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Seia

Formador

Nuno Fernando Ferreira Marques

Mónica Isabel Lopes Alves

José António Gonçalves Maleiro

Tiago Filipe Mendes da Silva

Destinatários

Professores do Grupo de Recrutamento 620

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

INEM em consórcio com a DGE

Razões

A doença cardiovascular assume uma liderança destacada no mundo ocidental na morbilidade e mortalidade das populações. A morte súbita é muitas vezes a primeira manifestação dessa doença. A fibrilhação ventricular é o mecanismo mais frequente da paragem cardio-respiratória (PCR) de origem cardíaca e o seu único tratamento eficaz é a desfibrilhação eléctrica. A probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre a fibrilhação e a desfibrilhação. Sendo que a rápida desfibrilhação enquanto objetivo é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre na maioria das vezes em ambiente pré-hospitalar, recomenda-se que profissionais não médicos sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores desde que a sua atuação seja enquadrada em Programas de DAE com controlo e auditoria médica qualificada. Só assim se conseguirá a conjugação de esforços que tornam a desfibrilhação um meio para atingir um objetivo último de melhoria da sobrevida após PCR de origem cardíaca. Nesse sentido, e com intenção de promover a utilização de Desfibrilhadores Automáticos Externos (DAE) em locais públicos ou em veículos de emergência, organizou-se esta ação que visa formar operacionais de Desfibrilhação Automática Externa.

Objetivos

- Compreender o conceito de cadeia de sobrevivência; - Identificar os potenciais riscos para o reanimador; - Saber executar corretamente as manobras de SBV; - Conhecer o conceito de DAE; - Identificar as regras de segurança inerentes à utilização de DAE; - Descrever os passos e a sequência de intervenções com o DAE; - Saber executar corretamente o algoritmo de SBV com utilização de DAE.

Conteúdos

15 Minutos – Apresentação, Objetivos e Contextualização do Curso 30 Minutos – Teórica I - Suporte Básico de Vida Adulto 10 Minutos – Demonstração algoritmo de SBV (4 passos) 60 Minutos – Sessão Prática I - Suporte básico de vida (30 min) - Demonstração de PLS (demo da técnica/ 5 min) - Posição lateral de Segurança (10 min) - Demonstração algoritmo DVA (demo da técnica/ 5 min) - Desobstrução da VA (10 min) 30 Minutos – Teórica II – Desfibrilhação Automática Externa/Situações especiais com DAE. 30 Minutos – Workshop: Comandos do DAE e Colocação de Elétrodos 15 Minutos – Demonstração algoritmo de SBV com DAE 50 Minutos – Sessão Prática II: Casos clínicos SBV DAE (Sucesso imediato).

Metodologias

- Sessões teóricas; - Demonstrações; - Workshop; - Sessões práticas.

Avaliação

Avaliação Prática Contínua (com todos os formandos em sala). Aprovação: classificação igual ou superior a 10 valores. a) Não são permitidas faltas.

Bibliografia

• Manual Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM). • Manual de Suporte Básico de Vida Adulto com Desfibrilhador Automático Externo.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 15-02-2022 (Terça-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial

Ref. 113T2 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-10/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-02-2022

Fim: 15-02-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Seia

Formador

Nuno Fernando Ferreira Marques

Mónica Isabel Lopes Alves

José António Gonçalves Maleiro

Tiago Filipe Mendes da Silva

Destinatários

Professores do Grupo de Recrutamento 620

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

INEM em consórcio com a DGE

Razões

A doença cardiovascular assume uma liderança destacada no mundo ocidental na morbilidade e mortalidade das populações. A morte súbita é muitas vezes a primeira manifestação dessa doença. A fibrilhação ventricular é o mecanismo mais frequente da paragem cardio-respiratória (PCR) de origem cardíaca e o seu único tratamento eficaz é a desfibrilhação eléctrica. A probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre a fibrilhação e a desfibrilhação. Sendo que a rápida desfibrilhação enquanto objetivo é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre na maioria das vezes em ambiente pré-hospitalar, recomenda-se que profissionais não médicos sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores desde que a sua atuação seja enquadrada em Programas de DAE com controlo e auditoria médica qualificada. Só assim se conseguirá a conjugação de esforços que tornam a desfibrilhação um meio para atingir um objetivo último de melhoria da sobrevida após PCR de origem cardíaca. Nesse sentido, e com intenção de promover a utilização de Desfibrilhadores Automáticos Externos (DAE) em locais públicos ou em veículos de emergência, organizou-se esta ação que visa formar operacionais de Desfibrilhação Automática Externa.

Objetivos

- Compreender o conceito de cadeia de sobrevivência; - Identificar os potenciais riscos para o reanimador; - Saber executar corretamente as manobras de SBV; - Conhecer o conceito de DAE; - Identificar as regras de segurança inerentes à utilização de DAE; - Descrever os passos e a sequência de intervenções com o DAE; - Saber executar corretamente o algoritmo de SBV com utilização de DAE.

Conteúdos

45 Minutos – Sessão Prática III: Casos clínicos SBV DAE (Choque não recomendado) 60 Minutos – Sessão Prática IV: Casos clínicos SBV DAE (Insucesso) 60 Minutos - Sessão Prática V: Casos clínicos SBV DAE (Sucesso tardio) 15 Minutos – Avaliação e Encerramento do Curso

Metodologias

- Sessões teóricas; - Demonstrações; - Workshop; - Sessões práticas.

Avaliação

Avaliação Prática Contínua (com todos os formandos em sala). Aprovação: classificação igual ou superior a 10 valores. a) Não são permitidas faltas.

Bibliografia

• Manual Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM). • Manual de Suporte Básico de Vida Adulto com Desfibrilhador Automático Externo.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 15-02-2022 (Terça-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 112T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-09/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 14-02-2022

Fim: 14-02-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Básica de Vila Franca das Naves

Formador

Nuno Fernando Ferreira Marques

Mónica Isabel Lopes Alves

Vitor Manuel Soares de Almeida

Pedro Manuel Fontes Melo

Destinatários

Professores do Grupo de Recrutamento 620

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

INEM em consórcio com a DGE

Razões

A doença cardiovascular assume uma liderança destacada no mundo ocidental na morbilidade e mortalidade das populações. A morte súbita é muitas vezes a primeira manifestação dessa doença. A fibrilhação ventricular é o mecanismo mais frequente da paragem cardio-respiratória (PCR) de origem cardíaca e o seu único tratamento eficaz é a desfibrilhação eléctrica. A probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre a fibrilhação e a desfibrilhação. Sendo que a rápida desfibrilhação enquanto objetivo é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre na maioria das vezes em ambiente pré-hospitalar, recomenda-se que profissionais não médicos sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores desde que a sua atuação seja enquadrada em Programas de DAE com controlo e auditoria médica qualificada. Só assim se conseguirá a conjugação de esforços que tornam a desfibrilhação um meio para atingir um objetivo último de melhoria da sobrevida após PCR de origem cardíaca. Nesse sentido, e com intenção de promover a utilização de Desfibrilhadores Automáticos Externos (DAE) em locais públicos ou em veículos de emergência, organizou-se esta ação que visa formar operacionais de Desfibrilhação Automática Externa.

Objetivos

- Compreender o conceito de cadeia de sobrevivência; - Identificar os potenciais riscos para o reanimador; - Saber executar corretamente as manobras de SBV; - Conhecer o conceito de DAE; - Identificar as regras de segurança inerentes à utilização de DAE; - Descrever os passos e a sequência de intervenções com o DAE; - Saber executar corretamente o algoritmo de SBV com utilização de DAE.

Conteúdos

15 Minutos – Apresentação, Objetivos e Contextualização do Curso 30 Minutos – Teórica I - Suporte Básico de Vida Adulto 10 Minutos – Demonstração algoritmo de SBV (4 passos) 60 Minutos – Sessão Prática I - Suporte básico de vida (30 min) - Demonstração de PLS (demo da técnica/ 5 min) - Posição lateral de Segurança (10 min) - Demonstração algoritmo DVA (demo da técnica/ 5 min) - Desobstrução da VA (10 min) 30 Minutos – Teórica II – Desfibrilhação Automática Externa/Situações especiais com DAE. 30 Minutos – Workshop: Comandos do DAE e Colocação de Elétrodos 15 Minutos – Demonstração algoritmo de SBV com DAE 50 Minutos – Sessão Prática II: Casos clínicos SBV DAE (Sucesso imediato).

Metodologias

- Sessões teóricas; - Demonstrações; - Workshop; - Sessões práticas.

Avaliação

Avaliação Prática Contínua (com todos os formandos em sala). Aprovação: classificação igual ou superior a 10 valores. a) Não são permitidas faltas.

Bibliografia

• Manual Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM). • Manual de Suporte Básico de Vida Adulto com Desfibrilhador Automático Externo.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 14-02-2022 (Segunda-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial

Ref. 113T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-10/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 14-02-2022

Fim: 14-02-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Básica de Vila Franca das Naves

Formador

Nuno Fernando Ferreira Marques

Mónica Isabel Lopes Alves

Vitor Manuel Soares de Almeida

Pedro Manuel Fontes Melo

Destinatários

Professores do Grupo de Recrutamento 620

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

INEM em consórcio com a DGE

Razões

A doença cardiovascular assume uma liderança destacada no mundo ocidental na morbilidade e mortalidade das populações. A morte súbita é muitas vezes a primeira manifestação dessa doença. A fibrilhação ventricular é o mecanismo mais frequente da paragem cardio-respiratória (PCR) de origem cardíaca e o seu único tratamento eficaz é a desfibrilhação eléctrica. A probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre a fibrilhação e a desfibrilhação. Sendo que a rápida desfibrilhação enquanto objetivo é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre na maioria das vezes em ambiente pré-hospitalar, recomenda-se que profissionais não médicos sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores desde que a sua atuação seja enquadrada em Programas de DAE com controlo e auditoria médica qualificada. Só assim se conseguirá a conjugação de esforços que tornam a desfibrilhação um meio para atingir um objetivo último de melhoria da sobrevida após PCR de origem cardíaca. Nesse sentido, e com intenção de promover a utilização de Desfibrilhadores Automáticos Externos (DAE) em locais públicos ou em veículos de emergência, organizou-se esta ação que visa formar operacionais de Desfibrilhação Automática Externa.

Objetivos

- Compreender o conceito de cadeia de sobrevivência; - Identificar os potenciais riscos para o reanimador; - Saber executar corretamente as manobras de SBV; - Conhecer o conceito de DAE; - Identificar as regras de segurança inerentes à utilização de DAE; - Descrever os passos e a sequência de intervenções com o DAE; - Saber executar corretamente o algoritmo de SBV com utilização de DAE.

Conteúdos

45 Minutos – Sessão Prática III: Casos clínicos SBV DAE (Choque não recomendado) 60 Minutos – Sessão Prática IV: Casos clínicos SBV DAE (Insucesso) 60 Minutos - Sessão Prática V: Casos clínicos SBV DAE (Sucesso tardio) 15 Minutos – Avaliação e Encerramento do Curso

Metodologias

- Sessões teóricas; - Demonstrações; - Workshop; - Sessões práticas.

Avaliação

Avaliação Prática Contínua (com todos os formandos em sala). Aprovação: classificação igual ou superior a 10 valores. a) Não são permitidas faltas.

Bibliografia

• Manual Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM). • Manual de Suporte Básico de Vida Adulto com Desfibrilhador Automático Externo.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 14-02-2022 (Segunda-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 103T13 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 07-02-2022

Fim: 04-04-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Carla Alexandra Alegre Lopes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 07-02-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 14-02-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 21-02-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 28-02-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 07-03-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 14-03-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 21-03-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 04-04-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


170

Ref. 102T5 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109944/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 02-02-2022

Fim: 30-03-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

António Pina Mendes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 09-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 16-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 23-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 02-03-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 09-03-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 16-03-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 30-03-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


166

Ref. 103T12 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 02-02-2022

Fim: 06-04-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Carla Alexandra Alegre Lopes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 09-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 17-02-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 24-02-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 03-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 10-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 17-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 06-04-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


169

Ref. 103T14 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 02-02-2022

Fim: 30-03-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Carla Sofia da Silva Ferreira Cardoso

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 09-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 16-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 23-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 09-03-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 16-03-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 23-03-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 30-03-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


174

Ref. 102T4 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109944/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 01-02-2022

Fim: 29-03-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

António Pina Mendes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 01-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 08-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 15-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 22-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 03-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 08-03-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 15-03-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 29-03-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


165

Ref. 104T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109945/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 31-01-2022

Fim: 28-03-2022

Regime: Presencial

Local: On-line

Formador

Carla Sofia da Silva Ferreira Cardoso

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.A esta ação de formação é aplicável o disposto no n.º 5, do artigo 3º, do Despacho n.º 779/2019, de 18 de Janeiro, alterado pelo Despacho nº 6851 -A/2019, de 31 de julho e pelo Despacho n.º 2053/2021, de 24 de fevereiro.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 31-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 07-02-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 14-02-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 21-02-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 07-03-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 14-03-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 21-03-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 28-03-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


171

Ref. 111T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111131/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 28-01-2022

Fim: 18-03-2022

Regime: Presencial

Local: On-line

Formador

Catarina Maria Seixas Horta

Destinatários

Educadores de Infância

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância.Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorara qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina de formação: - Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; - Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; - Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital; - Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças.

Metodologias

Presencial: As sessões presenciais são destinadas: à exploração, reflexão e articulação das OCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças ;à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, que promovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha. Trabalho autónomo: Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem, tendo por base as OCEPE, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível em: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf Lopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-01-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 04-02-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 11-02-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 18-02-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 04-03-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 08-03-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 11-03-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 18-03-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


173

Ref. 103T11 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 26-01-2022

Fim: 30-03-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Liliana Manuela Cruz Melo

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 26-01-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 02-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 10-02-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 16-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 23-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 09-03-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 16-03-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 30-03-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


168

Ref. 117T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-1/2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 26-01-2022

Fim: 26-01-2022

Regime: Presencial

Local: On-line

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Gouveia

Objetivos

Com base nos objetivos identificados pelo AE, esta ACD pretende: • Refletir sobre os referenciais educativos que respondem à diversidade e pluralidade dos alunos, contribuindo para a mudança ao nível dos procedimentos pedagógicos; • Capacitar os docentes para a identificação, implementação e avaliação das medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão, assentes na intervenção multinível; • Distinguir as medidas de gestão curricular previstas no Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho, com as alterações da Lei n.º 116/2019, de 13 de setembro e a Declaração de Retificação n.º 47/2019, de 3 de outubro; • Capacitar os docentes para a elaboração das adaptações curriculares não significativas, a partir das exigências e desafios concretos de cada grupo de recrutamento.

Conteúdos

Medidas de Suporte à Aprendizagem e à Inclusão; Medidas de Gestão Curricular; Aprendizagens Essenciais; Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória; e Adaptações Curriculares Significativas Não Significativas.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 26-01-2022 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Online síncrona

Ref. 103T10 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 25-01-2022

Fim: 29-03-2022

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Liliana Manuela Cruz Melo

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 25-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 01-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 08-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 15-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 22-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 08-03-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 15-03-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 29-03-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


167

Ref. 111T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111131/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 24-01-2022

Fim: 21-03-2022

Regime: Presencial

Local: On-line

Formador

Catarina Maria Seixas Horta

Destinatários

Educadores de Infância

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância.Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorara qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina de formação: - Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; - Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; - Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital; - Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças.

Metodologias

Presencial: As sessões presenciais são destinadas: à exploração, reflexão e articulação das OCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças ;à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, que promovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha. Trabalho autónomo: Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem, tendo por base as OCEPE, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível em: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf Lopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 24-01-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 31-01-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
3 07-02-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 14-02-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 21-02-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 28-02-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
7 07-03-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
8 21-03-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Presencial


160

Ref. 116T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-13/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 17-12-2021

Fim: 17-12-2021

Regime: Presencial

Local: On-line

Formador

Artur Gregório

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Beira Mar

Razões

No âmbito do projeto Territorial MED e da missão do Centro de Competências para a Dieta Mediterrânica (CCDM), pretende-se promover ações de capacitação de professores, dando-lhes a conhecer metodologias e ferramentas pedagógicas, de forma a transferir para os jovens o prazer da descoberta cognitiva pelos saberes que se encerram nos sabores dos produtos identitários.

Objetivos

- Capacitação dos professores que trabalham com jovens dos 6 aos 18 anos, em ambiente escolar, para os princípios e valores das Dieta Mediterrânica: Um estilo de vida para o século XXI - Capacitar pessoal docente para a utilização das práticas culturais e dos produtos locais para o desenho e implementação de atividades pedagógicas e exploratórias do território, da história local, das estórias das comunidades de que a identidade cultural mediterrânica é composta.

Conteúdos

O que é o estilo de vida mediterrânico Princípios da Dieta Mediterrânica Alimentação adequada: saborosa, saudável, económica e sustentável Práticas para uma alimentação adequada em jovens em idade escolar: • Descobre os sentidos da alimentação mediterrânica • À descoberta da alimentação mediterrânica • Hoje faço eu o lanche • Os açúcares escondidos dos alimentos • Produtos locais e sazonais


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 17-12-2021 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 110T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-08/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-12-2021

Fim: 13-12-2021

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Aguiar da Beira

Formador

Dina Maria de Oliveira Soares

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo e do Secundário; Professores de Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas P. José Augusto da Fonseca, Aguiar da Beira /Programa de Educação Estética e Artística (EEA-DGE)

Razões

A existência de uma relação direta, científica ou pedagógica, com o exercício profissional O Projeta-me está presente no Plano 21|23, Escola+, Plano de Recuperação de Aprendizagens, como medida educativa sob a forma de Roteiro de recurso educativo. É uma iniciativa, do PEEA, que no âmbito das Orientações Curriculares da Educação Pré-escolar e das Aprendizagens Essenciais das componentes curriculares dos 1.º e 2.º ciclos do Ensino Básico pretende explorar diferentes linguagens expressivas e o desenvolvimento de aprendizagens, mediante processos cognitivos multidisciplinares. Integra um conjunto de ações estimuladas pela invenção de imagens visuais, musicais e do movimento do corpo, que existem numa caixa. A caixa abriga um conjunto de imagens em transparências e objetos, que materializam as ações pedagógicas. As estratégias pedagógicas para as atividades podem decorrer com a apresentação de assuntos/temas ou pela indagação ou resolução de problemas; de forma lúdica, orientadas para o jogo, o desafio, procuram a representação de significados e narrativas — que se materializam na construção de imagens do mundo, na experimentação de sensações, na aventura pelo conhecimento que projeta(-me) e cria relações com os outros.

Conteúdos

1.ª parte – (1h). O modelo do PEEA Princípios orientadores do PEEA : missão; finalidades; objetivos; eixos de Intervenção. Estratégias e metodologias de trabalho. Plano 21|23, Escola+, Plano de Recuperação de Aprendizagens Roteiro - Projeta-ME | Caixa de Imagens do Mundo (Programa de Educação Estética e Artística). 2.ª parte (2h) Apresentação do Projeta-me. O que é, para quê e como funciona. Os princípios da Educação Artística no âmbito do Projeta-me, e seu funcionamento em ambiente escolar. Explicar o significado dos conceitos “Projeta-me” e “Caixa de Imagens do Mundo”. Como criar uma caixa do Projeta-me . O Dossiê digital do Projeta-Me. Apresentação de atividades com o Projeta-me nas áreas da Educação Artística.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-12-2021 (Segunda-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial

Ref. 102T3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109944/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 22-10-2021

Fim: 07-12-2021

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Liliana Manuela Cruz Melo

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 22-10-2021 (Sexta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 05-11-2021 (Sexta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 09-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 11-11-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 16-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 23-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 30-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 07-12-2021 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


152

Ref. 102T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109944/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 20-10-2021

Fim: 09-12-2021

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Liliana Manuela Cruz Melo

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 20-10-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 27-10-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 03-11-2021 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona
4 10-11-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 17-11-2021 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona
6 24-11-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 02-12-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 09-12-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona


145

Ref. 103T7 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 20-10-2021

Fim: 07-12-2021

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Carla Sofia da Silva Ferreira Cardoso

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 20-10-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 26-10-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 02-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 04-11-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 11-11-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 18-11-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 25-11-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 07-12-2021 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


154

Ref. 103T6 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 19-10-2021

Fim: 06-12-2021

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Carla Sofia da Silva Ferreira Cardoso

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-10-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 25-10-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 27-10-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 03-11-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 09-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 16-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 23-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 06-12-2021 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


153

Ref. 103T8 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 18-10-2021

Fim: 29-11-2021

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Carla Alexandra Alegre Lopes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-10-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 20-10-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 25-10-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 03-11-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 08-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 15-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 24-11-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 29-11-2021 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


155

Ref. 103T9 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109946/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 14-10-2021

Fim: 23-11-2021

Regime: b-learning

Local: On-line

Formador

Carla Alexandra Alegre Lopes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 14-10-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 19-10-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 26-10-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 28-10-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 02-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 09-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 11-11-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 23-11-2021 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


156

Ref. 109T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-07/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-09-2021

Fim: 15-09-2021

Regime: Presencial

Local: Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE)

Formador

Teresa de Jesus Dias Fernando

Mário André Lopes Barroco

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo;

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas Dr. Guilherme Correia de Carvalho

Razões

As opções metodológicas subjacentes ao Decreto–lei 54/2018 assentam no desenho universal para a aprendizagem e na abordagem multinível no acesso ao currículo. Uma abordagem que se baseia em modelos curriculares flexíveis, no acompanhamento e monitorização sistemáticas da eficácia do contínuo das intervenções implementadas, no diálogo dos docentes com os pais ou encarregados de educação e na opção por medidas de apoio à aprendizagem, organizadas em diferentes níveis de intervenção, de acordo com as respostas educativas necessárias para cada aluno adquirir uma base comum de competências, valorizando as suas potencialidades e interesses. No âmbito deste novo paradigma da educação inclusiva impõe-se às escolas o desafio de encontrar formas de organização pedagógica e social flexíveis, de modo a garantir o direito de participação e igualdade de oportunidades de acesso à educação e à aprendizagem de todos os alunos, Identificando e fundamentando a pertinência das dimensões a considerar na planificação da intervenção pedagógica por forma a assegurar o acesso, a participação e o desenvolvimento das competências que garantam o sucesso de TODOS os alunos. Em estreita correlação com o reconhecimento de novas necessidades e competências, a liderança de topo, alinhada com as lideranças intermédias, procuram empenhar-se na promoção novas formas de organizar e desenvolver o currículo, envolvendo o pessoal docente, não docente e técnicos. Neste contexto, reconhece-se que a mudança de práticas e o desenvolvimento de uma visão eclética e integrada da aprendizagem implica a capacitação dos vários intervenientes, ao nível da compreensão dos princípios e da conceção de práticas pedagógicas inclusivas, traduzidas num aumento de autonomia e responsabilização da escola na organização e gestão flexível do currículo. Assim, a proposta desta ação de curta duração, enquadra-se na necessidade de sensibilizar a comunidade para a mudança de práticas pedagógicas, tendo por base os princípios da flexibilidade curricular, da intervenção multinível e do modelo de desenho universal para a aprendizagem (DUA), numa perspetiva de desenvolvimento das aprendizagens essenciais e do perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória, através do incremento de práticas adequadas ao quadro conceptual da educação inclusiva.

Conteúdos

A abordagem focada na aceitação e valorização da diversidade, reflete a importância da cooperação entre diferentes e a aprendizagem da multiplicidade, enquanto valores que norteiam a inclusão. Valores que se afirmam numa visão holística do sujeito, orientada para a maximização do potencial individual e que pressupõem uma escola centrada na aprendizagem de todos, livre de barreiras (físicas, arquitetónicas ou curriculares). Tendo como objetivo perceber as premissas das práticas inclusivas ancoradas no conhecimento profundo e flexível dos conteúdos e das capacidades pedagógico-didáticas, prevendo a diversidade na apresentação, a diversificação dos modos de expressão e envolvimento, considerando que a aprendizagem de alta qualidade requer um ensino de alto nível, no qual importa que os professores percebam a forma como os alunos adquirem o conhecimento, quais as redes neuronais envolvidas na aprendizagem e qual a melhor forma para o aluno demonstrar a aprendizagem a ação contempla os seguintes conteúdos: a) Conceito de diversidade, percebendo a diferença entre educação especial e educação inclusiva; b) Pressupostos do DUA: o reconhecimento da informação, a aplicação de estratégias para processar a informação e o envolvimento na tarefa de aprendizagem; c) Princípios do DUA: 1. proporcionar múltiplos meios de representação; 2. proporcionar múltiplos meios de ação e expressão; 3. proporcionar múltiplos meios de envolvimento; d) Equacionar o papel da escola e do professor, privilegiando uma intervenção compreensiva. f) Apresentação de suportes disponíveis para a implementação do DUA. Neste âmbito, a ação tem como principal objetivo sensibilizar os docentes para a importância da construção de uma escola inclusiva, tendo por base a diversidade dos alunos que a compõem com enfoque na análise das limitações na gestão do currículo por oposição às limitações dos alunos, utilizando como opção metodológica o Desenho Universal para a Aprendizagem, de modo a: a) Refletir sobre os pressupostos de planeamento pedagógico; b) Abordar a utilização do DUA no planeamento do processo de ensino/aprendizagem e respetiva operacionalização, tendo em mente a resposta às necessidades de todos os alunos; c) Apresentar as possibilidades de aplicação do DUA a todas as dimensões das práticas pedagógicas na sala de aula focando-se, igualmente, na escola como um todo, que deseja não apenas ter os alunos no seu interior, mas potenciar a sua participação e sucesso. e) Realçar estratégias para a operacionalização dos três princípios básicos do DUA: (i) proporcionar múltiplos meios de representação; (ii) proporcionar múltiplos meios de ação e de expressão e (iii) proporcionar múltiplos meios de envolvimento.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 15-09-2021 (Quarta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial

Ref. 107T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-05/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 13-09-2021

Fim: 15-09-2021

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária c/3º CEB de Gouveia

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Stela da Costa Gabriel Sequeira

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Gouveia

Razões

Esta ACD surge da necessidade de reflexão e articulação das práticas e procedimentos em termos de Ensino, Aprendizagem e Avaliação, considerando os Critérios Gerais de Avaliação / Classificação do Agrupamento de Escolas de Gouveia e os Critérios Específicos das várias áreas disciplinares, considerando os seguintes aspetos: - Refletir acerca das práticas dos docentes na aplicação do Critérios de Avaliação; - Atualizar o conhecimento teórico-prático sobre o Ensino, a Aprendizagem e a Avaliação; - Debater os processos de recolha de informação específicos; - Especificar as atitudes gerais a avaliar no âmbito de cada área disciplinar; - Relacionar Aprendizagens Essenciais (Conhecimentos, Capacidades e Atitudes) com as Competências e as ações estratégicas a promover - Diversificar as ações estratégicas de Ensino - Aprendizagem - Avaliação - Melhorar as práticas de Ensino - Aprendizagem - Avaliação.

Conteúdos

Breve Enquadramento: a) reflexão acerca da aplicação dos Critérios de Avaliação (Gerais e Específicos) no ano letivo anterior; b) análise dos resultados do Inquérito MAIA. - Análise dos Critérios Gerais de Avaliação do Agrupamento de Escolas de Gouveia para o ano letivo 2021-22; - Sugestões para os Critérios Específicos para o ano letivo 2021-22; - Avaliação das atitudes e valores no âmbito das atividades e tarefas e a aplicação de Rubricas; - Processos de recolha de informação: diversidade e âmbito; - Práticas de Ensino - Aprendizagem - Avaliação por competências: exemplificação de atividades, tarefas, materiais e construção de processos de recolha de informação (Rubricas).

Anexo(s)


Observações

Despacho n.º 5741/2015, de 29 de maio - Esta formação enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-09-2021 (Segunda-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
2 15-09-2021 (Quarta-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial

Ref. 106T2 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-04/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 10-09-2021

Fim: 10-09-2021

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária/3 Gonçalo Anes Bandarra - Trancoso

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Trancoso

Razões

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Foi com este objetivo que o Ministério da Educação decidiu avançar com o Projeto MAIA, coordenado pelo Professor Domingos Fernandes, cujo propósito mais fundamental é contribuir para melhorar os processos de ensino, de aprendizagem e de avaliação pedagógica e, desta forma, desenvolver as ações que se impõem para que os alunos aprendam mais e melhor, com mais compreensão e com mais profundidade. A realização desta Ação de Curta Duração tem, pois, como principal fundamento a sensibilização/mobilização dos professores dos agrupamentos de escolas proponentes para a adesão ao Projeto MAIA, com o qual se pretende capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos.

Conteúdos

1. Objetivos, organização e relevância do Projeto MAIA; 2. Natureza e fundamentos da avaliação; 3. Processos de avaliação pedagógica: 3.1. Práticas de avaliação pedagógica (formativa e sumativa); 3.2. Feedback: natureza, distribuição e utilização pelos alunos e professores; 3.3. Aprendizagens Essenciais, critérios de avaliação, descrição de níveis de desempenho e Standards; 3.4. Processos de recolha de informação.

Anexo(s)


Observações

Despacho n.º 5741/2015, de 29 de maio - Esta formação enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-09-2021 (Sexta-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
2 10-09-2021 (Sexta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 106T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-04/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 08-09-2021

Fim: 08-09-2021

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária/3 Gonçalo Anes Bandarra - Trancoso

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Trancoso

Razões

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Foi com este objetivo que o Ministério da Educação decidiu avançar com o Projeto MAIA, coordenado pelo Professor Domingos Fernandes, cujo propósito mais fundamental é contribuir para melhorar os processos de ensino, de aprendizagem e de avaliação pedagógica e, desta forma, desenvolver as ações que se impõem para que os alunos aprendam mais e melhor, com mais compreensão e com mais profundidade. A realização desta Ação de Curta Duração tem, pois, como principal fundamento a sensibilização/mobilização dos professores dos agrupamentos de escolas proponentes para a adesão ao Projeto MAIA, com o qual se pretende capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos.

Conteúdos

1. Objetivos, organização e relevância do Projeto MAIA; 2. Natureza e fundamentos da avaliação; 3. Processos de avaliação pedagógica: 3.1. Práticas de avaliação pedagógica (formativa e sumativa); 3.2. Feedback: natureza, distribuição e utilização pelos alunos e professores; 3.3. Aprendizagens Essenciais, critérios de avaliação, descrição de níveis de desempenho e Standards; 3.4. Processos de recolha de informação.

Anexo(s)


Observações

Despacho n.º 5741/2015, de 29 de maio - Esta formação enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-09-2021 (Quarta-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
2 08-09-2021 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 108T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD-CFAE_G1-06/2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 06-09-2021

Fim: 06-09-2021

Regime: Presencial

Local: Escola Básica Dr. Guilherme Correia de Carvalho

Formador

Maria Antonieta Alves Garcia Nunes

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas Dr. Guilherme Correia de Carvalho

Razões

A Escola tem também a missão adicional de promover abordagens diferentes no ensino do Inglês de forma a que os nossos alunos sejam capazes de ir ao encontro das necessidades dos nossos dias. Pretende-se partilhar estratégias e dinâmicas de ensino e aprendizagem, focados nos alunos, que alavancam o seu conhecimento e autonomia.

Conteúdos

1. A abordagem CLIL. 2. metodologias CLIL. 3. Princípios sobre planificação CLIL. 4. Monitorizar e avaliar CLIL. Planificar e apresentar uma aula CLIL. Aplicar a estratégia Seesaw.


Observações

Despacho n.º 5741/2015, de 29 de maio - Esta formação enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 06-09-2021 (Segunda-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
2 06-09-2021 (Segunda-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 105T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111952/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 13.0 horas

Início: 03-09-2021

Fim: 04-09-2021

Regime: Presencial

Local: Casa Municipal da Cultura de Seia

Formador

Maria Alcina Rodrigues Correia

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. De acordo com o artigo 15.º da Portaria n.º 192-A/2015, de 29 de junho, esta ação de formação releva para a progressão da carreira dos professores bibliotecários, incluindo-se na dimensão científica e pedagógica.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1 em parceria com a Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais de Seia (RBEMS)

Razões

A leitura assume um papel relevante no que concerne às preocupações dos docentes e órgãos de poder central. O seu domínio com mestria é indispensável quer aos alunos quer ao cidadão em geral. As mudanças trazidas pela autonomia e flexibilidade curriculares, as disposições dos Decretos Lei n.º 55/2018 de 6 de julho e n.º 54/2018 de 6 de julho e a Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 reforçam uma nova dimensão às funções tradicionais das bibliotecas, exigindo dos professores bibliotecários e das equipas das bibliotecas um trabalho acrescido na gestão da informação e formação dos utilizadores, acrescido também das questões relacionadas com a transição digital das escolas, elaboração e monitorização dos PADD. Esta formação pretende fornecer aos docentes perspetivas atuais do conhecimento sobre as questões da leitura e da literacia, numa sociedade em que a leitura e o paradigma digital estão cada vez mais interligados.

Objetivos

- Enquadrar a ação no trabalho concelhio desenvolvido pela Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais de Seia (RBEMS). - Partilhar “boas práticas” da RBEMS. - Reforçar o papel da Biblioteca Escolar no apoio ao Plano de Ação Estratégico para Promoção do Sucesso Escolar e da transição digital - Refletir sobre o papel das bibliotecas escolares como espaços inovadores de aprendizagem e formação no domínio da leitura, das literacias e infraestruturas básicas de apoio ao currículo. - Responder aos desafios e exigências colocados à escola e ao ensino pela sociedade do conhecimento, relacionando-os com a emergência de novas literacias. - Trabalhar competências que permitam aos utilizadores o uso de ferramentas e recursos de aprendizagem, através de experiências colaborativas de planificação, ensino e avaliação com a biblioteca escolar.

Conteúdos

• Painéis (decorrerão em sala, em grande grupo, em dois dias distintos) ▪ Abertura formal da ação de formação: - Apresentação dos objetivos, das metodologias, dos instrumentos e critérios de avaliação. Painel 1: (1 hora) – A Biblioteca Escolar como um espaço de Cidadania ativa. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 2 (1,5 hora): Literacia dos media: nem tudo o que sabemos é verdade Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 3 (1 hora): Deambulando pelas estórias Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Carlos (Nelas) Painel 4 (1,5 horas): Gamificação: nova forma de estar no ensino Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 5 (1,5 hora): etwinning: projetos de trabalho colaborativo Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 6: (1 hora) – A leitura como motor de todas as aprendizagens. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 7 (1 horas): Ensinar a geração do e-caderno. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 8: (1 hora) – Escreviler Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 9: (1 hora) – Pegada digital e comportamentos de riscos. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 10: (1,5 hora) – A Biblioteca Escolar como um recurso de apoio às aprendizagens. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 11: (1 hora) – À conversa com… Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Sessão de encerramento

Metodologias

Estas Jornadas irão decorrer na modalidade de “curso de formação”, considerada uma modalidade de formação contínua com uma função global de aquisição de conhecimentos, atualização, alargamento e aprofundamento de conhecimentos científicos e pedagógico-didáticos, bem como de competências profissionais especializadas por parte dos professores, no sentido de desenvolver a autoformação e a inovação educacional. As sessões estruturam-se em painéis, perfazendo um total de 13 horas de formação. Haverá sessões essencialmente teóricas e reflexivas (painéis) centradas na apresentação e discussão de temas relacionados com diferentes literacias, nomeadamente a digital, a aprendizagem das mesmas e as dificuldades que possam surgir no percurso. Todas as sessões terão um conjunto de formadores, devidamente acreditados, que assegurarão o cumprimento de todos os processos necessários à avaliação dos participantes. Estas Jornadas estarão abertas à participação de docentes que poderão não desejar a acreditação, ficando apenas com um certificado de presença.

Avaliação

Para além do cumprimento das determinações legais, a avaliação dos formandos terá por base a qualidade e adequação dos materiais pedagógicos produzidos, sendo formalizada numa escala de classificação quantitativa de 1 a 10 valores de acordo com a regulamentação em vigor (Cartas Circulares do CCPFC e Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio), no cumprimento das determinações legais.

Bibliografia

PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Aprender com a biblioteca escolar[Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2018] Disponível em: http://www.rbe.mec.pt/np4/file/1906/referencial_2017.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Biblioteca Escolar e trabalho colaborativo[Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2018] Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/1286/bibliotecarbe6.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Estratégia: a alavanca da biblioteca escolar [Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2018] Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/1421/bibliotecarbe7.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Fazer leitores na era digital: o contributo da biblioteca escolar [Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2017] Disponível em: http://rbe.mec.pt/np4/file/1490/bibliotecarbe8.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Bibliotecas escolares gestão, desenvolvimento e curadoria de coleções na era digital [Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-01-2019] Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/2210/978_989_8795_11_3.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-09-2021 (Sexta-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
2 03-09-2021 (Sexta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial
3 04-09-2021 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
4 04-09-2021 (Sábado) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial

Ref. 105T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111952/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 13.0 horas

Início: 03-09-2021

Fim: 04-09-2021

Regime: Presencial

Local: Casa Municipal da Cultura de Seia

Formador

Liliana Manuela Cruz Melo

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. De acordo com o artigo 15.º da Portaria n.º 192-A/2015, de 29 de junho, esta ação de formação releva para a progressão da carreira dos professores bibliotecários, incluindo-se na dimensão científica e pedagógica.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1 em parceria com a Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais de Seia (RBEMS)

Razões

A leitura assume um papel relevante no que concerne às preocupações dos docentes e órgãos de poder central. O seu domínio com mestria é indispensável quer aos alunos quer ao cidadão em geral. As mudanças trazidas pela autonomia e flexibilidade curriculares, as disposições dos Decretos Lei n.º 55/2018 de 6 de julho e n.º 54/2018 de 6 de julho e a Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 reforçam uma nova dimensão às funções tradicionais das bibliotecas, exigindo dos professores bibliotecários e das equipas das bibliotecas um trabalho acrescido na gestão da informação e formação dos utilizadores, acrescido também das questões relacionadas com a transição digital das escolas, elaboração e monitorização dos PADD. Esta formação pretende fornecer aos docentes perspetivas atuais do conhecimento sobre as questões da leitura e da literacia, numa sociedade em que a leitura e o paradigma digital estão cada vez mais interligados.

Objetivos

- Enquadrar a ação no trabalho concelhio desenvolvido pela Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais de Seia (RBEMS). - Partilhar “boas práticas” da RBEMS. - Reforçar o papel da Biblioteca Escolar no apoio ao Plano de Ação Estratégico para Promoção do Sucesso Escolar e da transição digital - Refletir sobre o papel das bibliotecas escolares como espaços inovadores de aprendizagem e formação no domínio da leitura, das literacias e infraestruturas básicas de apoio ao currículo. - Responder aos desafios e exigências colocados à escola e ao ensino pela sociedade do conhecimento, relacionando-os com a emergência de novas literacias. - Trabalhar competências que permitam aos utilizadores o uso de ferramentas e recursos de aprendizagem, através de experiências colaborativas de planificação, ensino e avaliação com a biblioteca escolar.

Conteúdos

• Painéis (decorrerão em sala, em grande grupo, em dois dias distintos) ▪ Abertura formal da ação de formação: - Apresentação dos objetivos, das metodologias, dos instrumentos e critérios de avaliação. Painel 1: (1 hora) – A Biblioteca Escolar como um espaço de Cidadania ativa. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 2 (1,5 hora): Literacia dos media: nem tudo o que sabemos é verdade Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 3 (1 hora): Deambulando pelas estórias Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Carlos (Nelas) Painel 4 (1,5 horas): Gamificação: nova forma de estar no ensino Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 5 (1,5 hora): etwinning: projetos de trabalho colaborativo Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 6: (1 hora) – A leitura como motor de todas as aprendizagens. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 7 (1 horas): Ensinar a geração do e-caderno. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 8: (1 hora) – Escreviler Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 9: (1 hora) – Pegada digital e comportamentos de riscos. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 10: (1,5 hora) – A Biblioteca Escolar como um recurso de apoio às aprendizagens. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 11: (1 hora) – À conversa com… Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Sessão de encerramento

Metodologias

Estas Jornadas irão decorrer na modalidade de “curso de formação”, considerada uma modalidade de formação contínua com uma função global de aquisição de conhecimentos, atualização, alargamento e aprofundamento de conhecimentos científicos e pedagógico-didáticos, bem como de competências profissionais especializadas por parte dos professores, no sentido de desenvolver a autoformação e a inovação educacional. As sessões estruturam-se em painéis, perfazendo um total de 13 horas de formação. Haverá sessões essencialmente teóricas e reflexivas (painéis) centradas na apresentação e discussão de temas relacionados com diferentes literacias, nomeadamente a digital, a aprendizagem das mesmas e as dificuldades que possam surgir no percurso. Todas as sessões terão um conjunto de formadores, devidamente acreditados, que assegurarão o cumprimento de todos os processos necessários à avaliação dos participantes. Estas Jornadas estarão abertas à participação de docentes que poderão não desejar a acreditação, ficando apenas com um certificado de presença.

Avaliação

Para além do cumprimento das determinações legais, a avaliação dos formandos terá por base a qualidade e adequação dos materiais pedagógicos produzidos, sendo formalizada numa escala de classificação quantitativa de 1 a 10 valores de acordo com a regulamentação em vigor (Cartas Circulares do CCPFC e Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio), no cumprimento das determinações legais.

Bibliografia

PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Aprender com a biblioteca escolar[Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2018] Disponível em: http://www.rbe.mec.pt/np4/file/1906/referencial_2017.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Biblioteca Escolar e trabalho colaborativo[Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2018] Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/1286/bibliotecarbe6.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Estratégia: a alavanca da biblioteca escolar [Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2018] Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/1421/bibliotecarbe7.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Fazer leitores na era digital: o contributo da biblioteca escolar [Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2017] Disponível em: http://rbe.mec.pt/np4/file/1490/bibliotecarbe8.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Bibliotecas escolares gestão, desenvolvimento e curadoria de coleções na era digital [Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-01-2019] Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/2210/978_989_8795_11_3.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-09-2021 (Sexta-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
2 03-09-2021 (Sexta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial
3 04-09-2021 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
4 04-09-2021 (Sábado) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial

Ref. 105T3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111952/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 13.0 horas

Início: 03-09-2021

Fim: 04-09-2021

Regime: Presencial

Local: Casa Municipal da Cultura de Seia

Formador

Isabel Cristina Rodrigues dos Santos Albuquerque

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. De acordo com o artigo 15.º da Portaria n.º 192-A/2015, de 29 de junho, esta ação de formação releva para a progressão da carreira dos professores bibliotecários, incluindo-se na dimensão científica e pedagógica.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Guarda-1 em parceria com a Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais de Seia (RBEMS)

Razões

A leitura assume um papel relevante no que concerne às preocupações dos docentes e órgãos de poder central. O seu domínio com mestria é indispensável quer aos alunos quer ao cidadão em geral. As mudanças trazidas pela autonomia e flexibilidade curriculares, as disposições dos Decretos Lei n.º 55/2018 de 6 de julho e n.º 54/2018 de 6 de julho e a Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 reforçam uma nova dimensão às funções tradicionais das bibliotecas, exigindo dos professores bibliotecários e das equipas das bibliotecas um trabalho acrescido na gestão da informação e formação dos utilizadores, acrescido também das questões relacionadas com a transição digital das escolas, elaboração e monitorização dos PADD. Esta formação pretende fornecer aos docentes perspetivas atuais do conhecimento sobre as questões da leitura e da literacia, numa sociedade em que a leitura e o paradigma digital estão cada vez mais interligados.

Objetivos

- Enquadrar a ação no trabalho concelhio desenvolvido pela Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais de Seia (RBEMS). - Partilhar “boas práticas” da RBEMS. - Reforçar o papel da Biblioteca Escolar no apoio ao Plano de Ação Estratégico para Promoção do Sucesso Escolar e da transição digital - Refletir sobre o papel das bibliotecas escolares como espaços inovadores de aprendizagem e formação no domínio da leitura, das literacias e infraestruturas básicas de apoio ao currículo. - Responder aos desafios e exigências colocados à escola e ao ensino pela sociedade do conhecimento, relacionando-os com a emergência de novas literacias. - Trabalhar competências que permitam aos utilizadores o uso de ferramentas e recursos de aprendizagem, através de experiências colaborativas de planificação, ensino e avaliação com a biblioteca escolar.

Conteúdos

• Painéis (decorrerão em sala, em grande grupo, em dois dias distintos) ▪ Abertura formal da ação de formação: - Apresentação dos objetivos, das metodologias, dos instrumentos e critérios de avaliação. Painel 1: (1 hora) – A Biblioteca Escolar como um espaço de Cidadania ativa. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 2 (1,5 hora): Literacia dos media: nem tudo o que sabemos é verdade Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 3 (1 hora): Deambulando pelas estórias Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Carlos (Nelas) Painel 4 (1,5 horas): Gamificação: nova forma de estar no ensino Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 5 (1,5 hora): etwinning: projetos de trabalho colaborativo Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 6: (1 hora) – A leitura como motor de todas as aprendizagens. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 7 (1 horas): Ensinar a geração do e-caderno. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 8: (1 hora) – Escreviler Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 9: (1 hora) – Pegada digital e comportamentos de riscos. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 10: (1,5 hora) – A Biblioteca Escolar como um recurso de apoio às aprendizagens. Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Painel 11: (1 hora) – À conversa com… Formador responsável: Formadores acreditados pelo CCPFC Dinamizador: a designar Sessão de encerramento

Metodologias

Estas Jornadas irão decorrer na modalidade de “curso de formação”, considerada uma modalidade de formação contínua com uma função global de aquisição de conhecimentos, atualização, alargamento e aprofundamento de conhecimentos científicos e pedagógico-didáticos, bem como de competências profissionais especializadas por parte dos professores, no sentido de desenvolver a autoformação e a inovação educacional. As sessões estruturam-se em painéis, perfazendo um total de 13 horas de formação. Haverá sessões essencialmente teóricas e reflexivas (painéis) centradas na apresentação e discussão de temas relacionados com diferentes literacias, nomeadamente a digital, a aprendizagem das mesmas e as dificuldades que possam surgir no percurso. Todas as sessões terão um conjunto de formadores, devidamente acreditados, que assegurarão o cumprimento de todos os processos necessários à avaliação dos participantes. Estas Jornadas estarão abertas à participação de docentes que poderão não desejar a acreditação, ficando apenas com um certificado de presença.

Avaliação

Para além do cumprimento das determinações legais, a avaliação dos formandos terá por base a qualidade e adequação dos materiais pedagógicos produzidos, sendo formalizada numa escala de classificação quantitativa de 1 a 10 valores de acordo com a regulamentação em vigor (Cartas Circulares do CCPFC e Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio), no cumprimento das determinações legais.

Bibliografia

PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Aprender com a biblioteca escolar[Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2018] Disponível em: http://www.rbe.mec.pt/np4/file/1906/referencial_2017.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Biblioteca Escolar e trabalho colaborativo[Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2018] Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/1286/bibliotecarbe6.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Estratégia: a alavanca da biblioteca escolar [Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2018] Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/1421/bibliotecarbe7.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Fazer leitores na era digital: o contributo da biblioteca escolar [Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-10-2017] Disponível em: http://rbe.mec.pt/np4/file/1490/bibliotecarbe8.pdf PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Bibliotecas escolares gestão, desenvolvimento e curadoria de coleções na era digital [Em linha]. Lisboa: RBE, [Consult.28-01-2019] Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/2210/978_989_8795_11_3.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-09-2021 (Sexta-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
2 03-09-2021 (Sexta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial
3 04-09-2021 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
4 04-09-2021 (Sábado) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial